sábado, 22 de junho de 2013

Right! NOW! Ha ha ha ha ha

     O punk foi um movimento musical que conseguiu abrir olhos do mundo, superar a força do rock e se infiltrar nos movimentos sociais. Incorporando a rebeldia primal do rock n' roll, um bando de garotos eternamente inconformados  e com ideais revolucionários, conseguiu transformar os padrões de comportamento em todos os segmentos do mundo pop. O punk transformou o cenário musical, da moda e de comportamento. Ser punk sempre foi algo maior do que ser apenas mais um fã de qualquer outra facção do amplo universo da música pop. O punk rock foi, é e será um estilo de vida.


Sex Pistols: Anarchy In The U.K.





Right! NOW! Ha ha ha ha ha

I am an Antichrist
I am an anarchist
Don't know what I want but
I know how to get it
I wanna destroy the passer by 'cos I

I wanna be anarchy!
No dog's body

Anarchy for the U.K
It's coming sometime and maybe
I give a wrong time stop a traffic line
Your future dream is a shopping scheme 'cos I

I wanna be anarchy!
In the city

How many ways to get what you want
I use the best I use the rest
I use the enemy I use anarchy 'cos I

I wanna be anarchy!
The only way to be

Is this the MPLA
Or is this the UDA
Or is this the IRA
I thought it was the UK or just
Another country
Another council tenancy

I wanna be anarchy
And I wanna be anarchy
Oh what a name
I wanna be an anarchist
Get pissed! Destroy!

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Estereótipo, tipo: estéril mente

No mundo dos apedeutas                                    
o estereótipo é uma certeza
minha aparência burla sua 
consciência?
Sua consciência é reles
Veja, decodifique, conclua, 
mas com cautela    
O mundo já está repleto de conceitos 
principalmente os pré

não se utilize das faces 
nem das silhuetas para julgar
você pode estar sendo julgado.









Luciana Rebello

quarta-feira, 5 de junho de 2013

O início, o fim e o meio



GITA  (Raul Seixas e Paulo Coelho)

- Eu que já andei pelos quatro cantos do mundo procurando, foi justamente num sonho que Ele me falou:

Às vezes você me pergunta
Por que é que eu sou tão calado,
Não falo de amor quase nada,
Nem fico sorrindo ao teu lado.

Você pensa em mim toda hora.
Me come, me cospe, me deixa.
Talvez você não entenda,
Mas hoje eu vou lhe mostrar.

Eu sou a luz das estrelas;
Eu sou a cor do luar;
Eu sou as coisas da vida;
Eu sou o medo de amar.

Eu sou o medo do fraco;
A força da imaginação;
O blefe do jogador;
Eu sou!... Eu fui!... Eu vou!...

Gita! Gita! Gita!
Gita! Gita!

Eu sou o seu sacrifício;
A placa de contra-mão;
O sangue no olhar do vampiro
E as juras de maldição.

Eu sou a vela que acende;
Eu sou a luz que se apaga;
Eu sou a beira do abismo;
Eu sou o tudo e o nada.

Por que você me pergunta?
Perguntas não vão lhe mostrar
Que eu sou feito da terra,
Do fogo, da água e do ar!

Você me tem todo dia,
Mas não sabe se é bom ou ruim.
Mas saiba que eu estou em você,
Mas você não está em mim.

Das telhas eu sou o telhado;
A pesca do pescador;
A letra "A" tem meu nome;
Dos sonhos eu sou o amor.

Eu sou a dona de casa
Nos pegue pagues do mundo;
Eu sou a mão do carrasco;
Sou raso, largo, profundo.

Gita! Gita! Gita!
Gita! Gita!

Eu sou a mosca da sopa
E o dente do tubarão;
Eu sou os olhos do cego
E a cegueira da visão.

Eu!
Mas eu sou o amargo da língua,
A mãe, o pai e o avô;
O filho que ainda não veio;
O início, o fim e o meio.
O início, o fim e o meio.
Eu sou o início,
O fim e o meio.
Eu sou o início
O fim e o meio.