terça-feira, 15 de janeiro de 2013

ARTE FÚNEBRE

Uma excelente ideia para contemplar arte



    A bela arte funerária está presente em diversos cemitérios pelo mundo, contendo lindos mausoléus e lápides de mármore, ferro, bronze, etc, cheios de significados e beleza, em especial nos cemitérios mais antigos como o de Recoleta em Buenos Aires; de Pére Lachaise em Paris; Necrópole São Paulo, da Consolação e do Araçá em São Paulo, entre outros. No cemitério da Consolação por exemplo, encontra-se obras de artistas como Brecheret, Luigi Brizzolara, Eugênio Prati e Ramando Zago. Em países como Argentina e França servem como pontos turísticos, e acredito ser um belo passeio, pois são galerias de arte repletas de paz. Aqui no Brasil essa cultura é bastante tímida, mas quem sabe ela pode se tornar mais comum?





































DONA RAZÃO


Obrigada dona razão.
Por não me deixar escravizar por falsas promessas e falsas religiões.
Por não me deixar cair em paixões fulminantes que inflamam o coração.
Por me encorajar para tomar as decisões que a idade adulta nos impõem.
Por me dar paciência para suportar pessoas, situações e lugares desagradáveis.
Por me proporcionar boas e importantes pessoas, das quais tenho gratidão.
Por me dar forças para resistir às dores, diagnósticos, decepções, mágoas e insônias.
Por me conceder ocasionalmente um certo humor para os dias e noites complicados e temidos.
Por me dar ousadia pra aceitar os novos desafios.
Por me tirar o medo do desconhecido e dos perigos.
Por me colocar no palco mesmo quando eu queria e precisava estar na cama.
Por me fazer educar e cuidar de quem precisa de mim, com todas as dificuldades que brotam.
Por me fazer aguentar o trânsito, as noites mal dormidas, as brigas e decepções familiares e os trabalhos estressantes, junto às pessoas invejosas e afetadas por mal sentimentos.
Por me tornar cada vez mais forte, competente, honesta, útil, amada e mesmo odiada.
Por não deixar meus defeitos danificarem o próximo.
Por me dar uma mente que me cansa de tanto pensar, mas que sempre tem trabalhos para resolver e planejar.
Por ter me feito aceitar um grande desafio temido por muitos, e torná-lo um jogo que tenho jogado muito bem e que me retirou muitos medos.
Por me tornar uma pessoa bastante pragmática na maior parte do tempo.
Mas principalmente por me dar uma mente liberta que aproveita todas as gotas de felicidade quando sua chuva me atinge. Esse é o melhor da vida.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

BOHEMIAN RHAPSODY



Is this real life?
Is this just fantasy?
Caught in a landslide
No escape from reality

Open your eyes
Look up to the skies and see
I'm just a poor boy
I need no sympathy

Because I'm easy come, easy go
A little high, little low
Anyway the wind blows
Doesn't really matter to me, to me

Mama, just killed a man
Put a gun against his head
Pulled my trigger, now he's dead
Mama, life had just begun

But now I've gone and thrown it all away
Mama, oh
Didn't mean to make you cry
If I'm not back again this time tomorrow

Carry on, carry on
As if nothing really matters

Too late, my time has come
Sends shivers down my spine
Body's aching all the time
Goodbye everybody, I've got to go

Gotta leave you all behind
And face the truth
Mama, oh, I don't want to die
I sometimes wish I'd never been born at all

I see a little silhouette of a man
Scaramouche, Scaramouche will you do the Fandango
Thunderbolt and lightning, very, very frightening me
Galileo, Galileo

Galileo, Galileo
Galileo, Figaro, magnifico

But I'm just a poor boy and nobody loves me
He's just a poor boy from a poor family
Spare him his life from this monstrosity

Easy come, easy go, will you let me go
Bismillah! No, we will not let you go
Let him go

Bismillah! We will not let you go, let him go
Bismillah! We will not let you go, let me go
Will not let you go, let me go, never
Never let you go, let me go

Never let me go, oh
No, no, no, no, no, no, no
Oh mama mia, mama mia, mama mia let me go
Beelzebub has a devil put aside for me

For me
For me

So you think
You can stone me and spit in my eye
So you think you can love me
And leave me to die

Oh baby, can't do this to me baby
Just gotta get out
Just gotta get right outta here

Oh, oh yeah, oh yeah

Nothing really matters
Anyone can see
Nothing really matters
Nothing really matters to me

Anyway the wind blows

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

In a Persian market



       Quando a noite chega, meu pensamento viaja, vai para distâncias muito além de meu corpo, talvez a procura de um final para minha história de vida. A vida é feita de poucos suspiros. E mais um trecho dela, que com a certeza da vida que a morte é, a dor esteja e estará  presente, e entre lapsos de amor e tristeza as coisas do velho mundo continuam  me atraindo, assim como os olhares misteriosos dos felinos, profundos e hipnotizantes. Sonhei com um califa à minha espreita, mas tenho medo do amor, muito medo desse vilão que move o mundo, enquanto tento mergulhar na neutralidade, na racionalidade e na solidão. Meus sonhos secretos estão vindo à tona, porém, sem que eu os tenha clamado, e agora não sei se recuo ou continuo. Como fugir de um sonho vaidoso e irreal em vigília, que me traz a mente "In a Persian Market" e toda sua magia do oriente, da história do Nilo e a simbologia de fertilidade. Um bravo, que está apenas passando, e definhando corações, por sua sagrada e honrada terra. Sempre chorei a divisão do amor, agora é mais mítico, é por uma pátria, é com a derrubada de sangue e lágrimas. E "In the mystic land of Egypti" chorarei mais uma vez. Albert Ketelbey tinha um papel em minha vida, desde a primeira vez que ouvi os meus primeiros toques no velho piano, tentando tocar "In a Persian Market", foi um filme inédito, mas como se fosse de uma vida passada, que passou em minha mente lentamente e pude ver um fragmento do velho mundo no Oriente. Mas nunca me contentei. Contudo, meu califa é um abismo, e para ele não tenho asas. Enterrarei em uma tumba até o dia da redescoberta. Asas amputadas que podem crescer um dia, com a dor ou sem ela. 


When lights are low my thoughts always go
To a far off land 'cross the sea
Amber moon and the sweet perfume
Of the mystic East call to me

In a Persian market place
Love and I came face to face
While the temple bells were ringing
Two hearts shared a sweet embrace

Like a dream she soon was gone
But her spell still lingers on
It was in a Persian market
I found love and lost my heart

(Orchestral Break)

Like a dream she soon was gone
But her spell still lingers on
It was in a Persian market
I found love and lost my heart
I found love and lost my heart

Sweee-oooo-eeeeeeeeee-oooo-eee-oooo
Weeeeee-ooooo-eeeeeeee-ooo-eeeee-ooooo
Sheee-ooh-aah...
In a Persian Market


Quando as luzes são baixas meus pensamentos vão sempre
Para uma terra distante, através do mar
Âmbar lua e o doce perfume
Da chamada mística Oriente para mim

Em um mercado persa
Amou e ficou cara a cara
Enquanto os sinos do templo estavam tocando
Dois corações compartilharam um doce abraço

Como um sonho, ela logo foi embora
Mas o feitiço dela ainda perdura
Foi em um mercado persa
Eu encontrei o amor e perdi meu coração

(Ruptura de orquestra)

Como um sonho, ela logo foi embora
Mas o feitiço dela ainda perdura
Foi em um mercado persa
Eu encontrei o amor e perdi meu coração
Eu encontrei o amor e perdi meu coração

Sweee-oooo-eeeeeeeeee-oooo-eee-oooo
Weeeeee-ooooo-eeeeeeee-ooo-eeeee-ooooo
Sheee-ooh-aah ...

http://michaelsmusicservice.com/music/Ketelbey-Matthew.InAPersianMarket.html


In the mystic land of Egypti








http://michaelsmusicservice.com/support/Ketelbey-Matthew.InAPersianMarket.PW.mp3

http://michaelsmusicservice.com/support/Ketelbey.InAPersianMarket.KetelbeyConcertOrchestra.Columbia.1928.mp3

http://shelf3d.com/Search/%20In%20The%20Mystic%20Land%20Of%20Egypt